Fraturas em geral

Uma fratura óssea é a perda da continuidade de um osso que o divide em dois ou mais fragmentos. As fraturas são acontecimentos muito frequentes. Embora haja várias causas acidentais de fraturas, cerca de 40% acontecem no ambiente doméstico. Algumas fraturas são tão simples que nem chegam a ser percebidas ou resolvem-se espontaneamente, mas outras podem ser tão graves que acarretam risco de morte.

 

Os sintomas mais comuns são dores, inchaço, incapacidade total ou parcial dos movimentos, deformidades e posturas anormais, sinais do traumatismo como hematomas, lesões cutâneas, etc. Nas fraturas expostas ou complicadas podem aparecer outros sinais além desses, dependendo do tipo de evento.

 

O tratamento das fraturas depende do tipo e das suas características. O tratamento conservador procura favorecer condições para que ocorra o processo natural de reparação óssea e pode variar conforme a região do corpo e o tipo de lesão causadora.

 

Nas fraturas em que tenha havido desvio ósseo é necessário fazer-se a redução, exercendo tração sobre o membro afetado e fazendo com que as extremidades ósseas voltem a ficar alinhadas e na sua posição anatômica natural. Depois desse alinhamento, o membro afetado deve ser imobilizado, para que não haja dor e possa ocorrer uma reparação da fratura.

 

O mais frequente é a utilização de imobilização gessada ou, mais recentemente, dispositivos sintéticos. Conforme o osso atingido e o tipo de fratura, essas imobilizações podem variar de três a oito semanas, ou ainda mais. Concomitantemente, podem ser usados analgésicos e anti-inflamatórios para alívio da dor e da inflamação local.

 

O tratamento cirúrgico fica reservado para aqueles casos em que não há condições para um tratamento conservador e ele também procura restabelecer o alinhamento normal do osso e mante-lo até a reparação (consolidação) da fratura. Adicionalmente, a cirurgia também permite corrigir algumas lesões de partes moles associadas como lesões de ligamentos, por exemplo. O restabelecimento da continuidade óssea por meio cirúrgico pode ser feito com a utilização de placas, parafusos, hastes intramedulares ou fios metálicos.

Desenvolvido por Proxymed - Gestão e Marketing Médico